segunda-feira, 30 de maio de 2011

Sabe aqueles filmes em que o mocinho faz todas as escolhas erradas? Nos últimos 20 minutos a mocinha vai embora porque afinal “não se pode ter tudo”. Aí vem a grande sacada: se for uma comédia-romântica o nosso destemido herói vai reverter tudo, entender-se com a garota e por aí vai; mas se for um drama, esse tempo final é só para olhar para trás e perceber porque aconteceu assim e arrumar a bagunça.
Ok. Estou com duas dúvidas.
1-Por que não se pode ter tudo? (Ninguém me responde essa, por mais que eu tenha perguntado! Achei que quando tentasse ter várias coisas ia chegar em um limite e o mundo ia natural me impedir. Não aconteceu. E todos continuaram me dizendo “Você não pode ter tudo”, no mesmo tom que minha vó diz “Não coma uvas e melancia no mesmo dia”!)
2-Qual o gênero de tudo isso?

terça-feira, 24 de maio de 2011

Sobre falar.

Já perdi as contas de quantos amores, amizades, famílias e pessoas se perderam por conta do silêncio.
Hoje enquanto todo mundo pensa "o que vão pensar" "o que vão dizer" "será que ela vai achar..." a hora passa. O amor passa. E talvez aquela conversa que poderia importe entre você e sua vó, ou seu pai, vai embora com as horas do relógio e todas as suas fantasias de o que eles vão pensar, falar e fazer. E nada acontece.
Talvez *aquela* garota poderia ser alguém e fazer a diferença. Se você se desse o direito de descobrir. Talvez.

Talvez eu tivesse descoberto e sido mais feliz se tivesse me dado mais ao direito antes também (tentando não ser hipócrita, oras), só é uma verdade sobre a vida: enquanto colocamos nossa cabeça para funcionar sobre o que poderia ser, a vida está lá fora esperando.

domingo, 8 de maio de 2011

Os últimos, finalmente:

91-E ainda que perdoar seja uma marca registrada minha (e é, já me disseram); isso não é esquecer.
92-Guardo moedas em cofrinhos.
93-Gasto meu cofrinho em xerox antes de enxe-lo.
94-Sou desligada.
95-Sou espuleta, agitada e as vezes nervosinha.
96-Adoro chocolate e amo brigadeiro.
97-Tenho intolerância a lactose e gastrite (e isso é só o começo)
98-Preciso voltar a dançar.
99-Achei que não ia escrever os 100 fatos
100-Sou mais do que esses 100 fatos, mas há mais aqui do que a maioria das pessoas sabe sobre mim.

Logo devo postar algumas coisas que estão rondando por aqui.

Feliz dia das mães!

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Sonho.

No dia em que você veio novamente, eu tive esse sonho. É indecente, caliente e insone. Não resisto a finalmente partilha-lo:

Estamos lá, e esperamos tanto, e tem todas aquelas pessoas. Rimos juntos de nossas piadas internas e das dos outros. Participamos até da rodinha de amigos. Então nos olhamos, um de cada lado, e a respiração para. Porque ainda estamos aqui mesmo?
Sem falar nada saímos da roda em silêncio e nos afastamos dos outros. Trocaramos olhares profundos e rimos, solto. Saímos dali e caminhamos rápido. Na portaria mal damos tempo para o rapaz me entregar a chave. Entramos no elevador.
Ah o elevador...
Cada um de nós encosta-se em uma parede. Aperto no 6o andar. Ele morde o lábio e desiste. Avança sobre mim. Em mim. Comigo. Nos beijamos e correm as mãos, quase correm as roupas. Sufocamos.
Abre o elevador. Rimos.
Vou na frente e abro a porta do quarto. Tento alcançar o interruptor, mas não enxergo nada, ele fechou a porta atrás de si.
Ficamos no escuro um momento enquanto tateio. De repente sinto o corpo dele colado ao meu, ambos colados a parede. Suas mãos me giram. Respiramos fundo. Não vamos chegar na cama. Nem quero.

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Novas cores

Sinto uma vontade enorme de chorar.
Primeiro porque passei por coisas demais nos últimos tempos. Sacudi minha vida e isso foi bom. Fez eu ver o que estava empoeirado. Fez meu mundo se arranjar e exergar coisas novas.

Ganhei sensibilidade.
Hoje gentiliza me fez chorar, porque poucos foram sinceramente gentis comigo.
Sensibilidade me fez novas cores também. E por novas cores quero dizer cores novas em algumas pessoas e até brilho. É bonito e me está me confundindo.

Algumas pessoas perderam cores. E isso dói. Não sei mais o caminho que quero tomar, mas sei que está tudo diferente e que as cores são outras. E que isso me causa dor. Porquê? Talvez porque tenha apostado muito nas cores fortes que via quando minha respiração falhava. Havia uma gama de vermelhos e pretos profundos. E se perdeu. Onde? Porquê?

"A onde está você, além de aqui..."





Em tempo: comecei um projeto novo com um grande amigo, Luiz. É uma reunião de teorias, ou um manual, sobre relacionamentos/sexo/amor. A idéia é antiga, começamos agora porque a numerologia dizia que...
mentira! É porque uma das teorias que ele partilhou comigo, e eu adoro, inspirou este post. Então insisti com ele para digitalizar e postar.

Sobre pessoas coloridas e pessoas brilhantes [não como Restart, óbvio]

http://relacionandoteorias.blogspot.com

domingo, 1 de maio de 2011

Ainda sobre o que vem acontecendo, tem algo em que eu sempre acreditei, e que agora só se provou mais verdadeiro: é possível se questionar todas as escolhas de alguém (apesar de que é preciso fazer isso com muito cuidado, é claro, e com disposição para ouvir), mas nunca seu direito básico de escolher.

81-Não gosto que digam que sabem mais sobre do que eu. Demorei bastante para saber quem sou.
82-Brincava de espião quando era pequena. Era Nikita (essa que tem remake).
83-Não sou ingênua.
84-Não tenho a idade que aparento.
85-Adoro brincar com meus primos mais novos.
86-Gosto de filmes infantis.
87-Ainda lembro do meu primeiro amor e da primeira carta que recebi dele.
88-Não lembro de vários amores pelo caminho, mas guardo cada sensação, dor e aprendizagem.
89-Achei que não guardava mágoas nunca. Estava errada.
90-mas alguém tem que se esforçar para que eu guarde.


Só para constar:
[1]Questionar é diferente de julgar

ps. Obrigada tio. Logo vou te responder todas as coisas.