sexta-feira, 29 de abril de 2011

Sabe eu tenho ouvido muito absurdo durante minha vida toda. O mundo é um show de intolerância. É um tal de "para eu ser melhor, o outro tem que ser pior" que me enoja enormente.
Mas, nas últimas duas semanas, eu tenho aguentado a pior sessão de intolerância, prepotência, imcompreensão e miopicidade que já vi.
Eu fiz uma escolha questionável de um milhão de maneiras e estava aberta a ouvir todas as perguntas daquelas que amo e considero. Não ouvi perguntas. Não ouvi "porquê?". Não vi nenhum interesse, ou uma tentativa de olhar duas vezes para o que estava acontecendo.
O que eu vi, ouvi e aguentei foi gente que não deu nenhum crédito a minha capacidade de discernir. Que não me perguntou e não se preocupou em respeitar o que escolhi. Engraçado, acreditei que algumas dessas pessoas eram capazes de um pouco mais. Mais respeito, um olhar mais profundo e mais escuta. E o que eu recebi? Pré-conceitos. E quem me respeitou (obrigado, ao menos isso...) não consegue se desprender de as coisas que já foram.

Ah um ser humano aqui. Dois. Entendo todas as coisas, mas estou cansada. Entendi todas as coisas, me deem uma folga.

Quem aqui SEMPRE encarou o mundo desarmado, de cara limpa? Então nenhum de vocês tem um monte de maneiras de lidar com as merdas do mundo? Vejo um monte de gente se fechando, não lidando com relações, se entopindo de álcool, remedios, maconha e por ai vai (para não falar de escolhas piores). Então todo mundo faz merda, se defende, mas é apontar o dedo para alguém como pior, mais sujo, mais feio. Quem ganha? Quem é mais limpo, melhor, mais bonito? Hurum... É claro.

Isso vindo de pessoas que eu achava que eram sem preconceitos por já terem passado por isso na vida, que defende o respeito e algumas ainda por estarem em um ambiente que sua formação EXIGE respeito pelo outro, escuta e olhar mais profundo. Fico com um sentimento de hipocrisia. Dá pena.

Cenas persecutórias

Duas cenas que estão me perseguindo:

[Havia o cheiro dele ainda na camisa dela. Ela respirou fundo, era para se acalmar, mas sentiu o perfume ainda mais. Ficou quase tonta. Se aproximou. Era uma imagem tão bonita.
Ele de costas nuas na cama. Queria sua pele sobre a dele. Sua boca sentindo a pele dele. Um arrepio quente passou por cada centímetro de sua pele. Então estava lá e era só desejo.]

[Estavam sobre a grama. Um ao lado do outro. Riram daquelas desgraças tão próprias deles, tão iguais em suas diferenças.
Se olharam. O tempo parou. Riram e o momento foi embora. Já havia tempos que não eram mais dois.
Ela se sentou, limpou a roupa, olhou para ele feliz em meio a tudo o que foi dito e quis ir embora. Ele segurou seu braço.
-Só mais uma coisa.
E, como se todos os dias ainda fizessem isso, ele a puxou para si. Ela o puxou para si. Deitaram. Beijaram-se devagar. Sem descompassos.
Ela abriu os olhos embotados de lágrimas, ele ainda de olhos fechados segurando o rosto dela e os cabelos.

Atrás deles poderia tocar aquela música sobre o último beijo. Ou sobre o primeiro. E o momento havia se ido novamente.]

Em uma delas não vou mais longe para não deixar mentes flutuarem. É isso.
Que os dados rolem.

Saudades de postar

domingo, 17 de abril de 2011

Saudade do Sirius. Me lembrei dele. Então me passou o micro conto a seguir na cabeça. É quase como se eu estivesse vendo uma cena versão Sirius.

[Ele olhou para a garota deitada na sua cama, as costas nuas, a respiração leve, suave. Brincou com um cacho de cabelo loiro. Sorriu. Suspirou um pouco amargo.

-Você precisa saber que eu não vou mudar.

Ela abriu os olhos devagar. Bocejou. Virou-se para ele e apoiou o rosto no braço direito.

-Eu sei. Não esperava outra coisa.
-Não. -Ele bufou. -Eu tenho outras... prioridades. -Abaixou a cabeça e procurou as palavras. Então olhou nos olhos dela -Veja, você sabe quem eu sou e que não vou estar aqui sempre. Que vou fazer escolhas ruins e algumas péssimas. Isso não me preocupa. O que me preocupa é que tenho certeza de algumas escolhas: vou escolher estar do lado dela, ainda, e não posso te pedir para passar por isso comigo.
-Então não peça, só me dê a opção.
-Isso é tão errado, mas parece tão certo agora. -Eles riram juntos.
-Todo esse papo nem parece você, sabia? Vim aqui pela diversão.
-Essa é a minha garota.

E o lençol se foi, levando as dúvidas.]


"O que obviamente não presta sempre me interessou muito". (Clarice Lispector)

E para não perder o costume (About me):

71-Espero o mesmo respeito e honestidade que disponho aos outros.
72-Jogo canastra pela internet.
73-Não consigo ter paciência para rpg no pc.
74-Me obrigar a ser social é horrível. Odeio estar em situações que TENHO que bater papo, ou conhecer pessoas.
75-Ainda me surpreendo com a vida. E gosto de me deixar surpreender.
76-o primeiro mangá que li foi Fruits Basket.
77-Meus amigos me acham parecida com a Tohru.
78-Falando nisso, quando via Cavaleiros do Zodíaco na infância, eu era o Hyoga.
79-Hoje tenho uma queda pelo Shiryu, pq né?
80-Sou da época que Sailo Moon passava na manchete.

terça-feira, 12 de abril de 2011

Sobre cansaço e eu (ainda).

[Aviso: esse post é um daqueles sobre meus sentimentos em dias escuros, mas depois melhora.]

E o que eu faço com todas essas coisas que eu sinto?
Todas essas dores, amores, desejos, anseios, cores, flores e cheiros.
Deus.
Tão difícil.
Tudo me consome, embebedada e tudo cansa.


Enfim, né? É isso. Continuando About me:


60-Odeio senhor dos anéis (o livro). Acho mto chato.
61-Tenho medo de zumbis em Resident Evil (jogo) e de Tiranossauro Rex em Tomb Raider. >.<
62-faço terapia.
63-meu pc, minha vida.
64-sou incuravelmente romantica, dessas que acreditava que vai funcionar e luta.
65-sou durona tbm.
66-Tenho de medo de mta coisa. Principalmente das minhas apostas em relações amorosas.
67-Tenho tanto medo que preciso ir lá e fazer, porque a idéia de acabar sozinha por covardia me apavora.
68-Vou até o fim das coisas.
69-Preciso do meu tempo.
70-Reconheço as coisas que fiz.

domingo, 10 de abril de 2011

Sobre jogar Mortal Kombat com a vida

Olá a tod@s,
Hoje postei a parte final do meu conto! Primeiro conto que postei no blog! Estou muito feliz de tê-lo terminado. Para comemorar, também trouxe um post que estava na gaveta: sobre Mortal Kombat e a Vida.
Um amigo meu e eu estavamos no msn esses dias. Estavamos falando sobre essas situações com relacionamentos amorosos em que é só para fuder com a cabeça de um ser, é só dar murro em ponta de faca. E ele me falou sobre a teoria dele.
Nessas situações você joga Mortal Kombat com a vida. Sim, eu explico (seguindo o racíocio que ele bolou com outro cara).

Quem já jogou MK sabe que várias vezes você joga contra alguém, seu oponente só te dá rasteira. Uma atrás da outra, sem.parar! Você pula, rasteira. Você bate de frente rasteira. Você... RASTEIRA! Aí você joga o controle para cima, e vai para a cozinha beber nescau.

Eu achei a teoria genial, sabe porque?
1-Quem já jogou Mortal Kombat sabe o quanto é chato pracarralho ficar lutando contra quem só te dá rasteira.
2-Quem já lutou contra a vida quando só leva rasteira, sabe que o jeito é mesmo largar o controle e ir beber um nescau, coca, vodka, tequila... ENFIM. Dar um tempo. (Minha teoria sobre dar um tempo é base do meu manual do pé na bunda).

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Sobre apareciências e eu.

Acompanho sempre "Melhor blog sobre nada". Todos os posts são ótimos. Este especialmente faz pensar muito e tem haver com as coisas que sempre falo aqui:http://melhorblogsobrenada.blogspot.com/2011/04/as-aparencias-enganam.html

Continuando sobre mim:

45-Não sei o que vou fazer quando me formar.
46-Nunca ouço músicas por conta própria.
47-Vou atrás do que eu quero.
48-Escrevo pra carralho.
49-adoro redes sociais.
50-Menos o facebook. odeio o facebook.
51-não uso o orkut novo. odeio coisas com informaçoes demais.
52-minha mente vai longe MTO rápido.
53-normalmente com idéias sacanas e insanas.
54-acredito na frase que ex's é que nem mc donald's.
55-eu fico sem ir no mc por anos.
56-já chorei por horas na minha cama por não ter as respostas. não foi uma única vez, nem por uma única pessoa.
57-estou aprendendo a não ficar sem respostas.
58-estou aprendendo a responder também.
59-Já chorei lendo livros. Mtas vezes.

sábado, 2 de abril de 2011

Sobre Scott Pilgrim Contra o Mundo e outras coisas

Scott Pilgrim x Mundo é genial em muitas coisas. Não percam!
Não vou me alongar muito, quero fazer uma resenha sobre ele no Novo Gênese. Vou só opinar sobre uma coisa (mínimo de spolier possível).
É de longe melhor filme sobre games já feito. E a trilha sonora é ótima. A história é divertida pra valer. Agora contrariando todos que me indicaram o filme, achei a Ramona um saco. Achei ela sem sal e que não valia a paixão do Scott.
Desde o começo, quando Knives Chau e o Scott aparecem no playground torci por eles. Acho os dois a melhor dupla, e adorei ver a Knives crescer no filme. Para mim a Ramona não foi espontânea, divertida ou sexy como prometia. Ela mudou a cor dos cabelos sem fazer whoool, mas faz isso sempre, então parece mais parte de uma rotina. Sei lá... Parece que a Ramona fodona está só na imaginação da galera.

Agora que já opinei, aí vai os avisos paroquiais: Parte 4 do conto postada. Quase no fim. Beijos.